terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Vereadores prometem ir ao Ministério Público denunciar falta de Medicamentos no município de Mari/PB


Foto Ilustrativa
Foto Ilustrativa
As constantes reclamações da população devido a falta de medicamentos básicos no Município de Mari, na zona da mata paraibana, poderá levar os Vereadores Magdiel Olinto, Marcondes Baltazar e a Vereadora Zélia dos Transportes, a encaminhar um requerimento ao Ministério Publico, para que tome providencias diante do descaso na saúde.
Os vereadores afirmam que constantemente são procurados pela população para denunciar irregularidades no abastecimento e distribuição de medicamentos na Farmácia Básica do Município, além dos vários reclames feitos por populares durante os programas da rádio comunitária da cidade e até em redes sociais, na internet.
Cansado de esperar pelo poder público, o usuário André Antônio, desabafou em seu perfil no Facebook. “Meu Pai já faz vários dias que não toma o remédio PROLOPA 200/50 porque está em falta”, reclama.
Em sua postagem, André Antonio também revela que, enquanto falta medicamento para a população, sobra dinheiro para ajuda financeira de pagamento de passagens de uma “suposta” pessoa carente para o Rio de Janeiro.
A Redação do ExpressoPB verificou junto o Sagres do TCE/PB, as informações contidas na postagem feita pelo usuário e constatou a realização de três pagamentos feitos a uma mesma pessoa, no período de 03 de abril/ 2013 à 01 de julho deste ano, num valor total de R$ 1.229,00 (Hum mil, duzentos e vinte e nove reais).  Todos os pagamentos teriam sido feitos a título de ajuda financeira concedida pela administração para custear despesas com compra de passagem para o Rio de Janeiro.
10847926_396166420534256_7596061369193417301_n 1506016_396166423867589_4326280134690924618_n 10675581_396166417200923_3264766556004601762_n
Sobre o assunto, o Vereador Magdiel Olinto diz que, esse tipo de ajuda financeira é possível graças a Lei Municipal 604/2005. De acordo com ele, a lei também permite que o gestor possa conceder ajuda financeira para aquisição de medicamentos e tratamento de saúde de pessoas carentes, com renda igual ou inferior a dois salários mínimos. “Se a lei prevê a possibilidade de auxílio financeiro para compra de medicamentos, o Prefeito poderia fazer uso dela, doando o dinheiro para que o usuário possa comprar o seu medicamento”, diz Magdiel.
Em resposta as reclamações da população na Rádio Comunitária Araçá FM, o Assessor de Comunicação da Prefeitura, Wagner Ribeiro, participou do Programa Liberdade de Expressão desta terça-feira (02) e explicou que a empresa vencedora da licitação não está entregando os referidos medicamentos conforme acertado em contrato, mas que prometeu nos próximos dias regularizar a situação e eximiu a Secretaria de Saúde, bem como o Prefeito do município de qualquer responsabilidade na falta dos medicamentos.
Questionado pelo radialista Marcos Sales a respeito de uma maneira que a prefeitura poderia encontrar para resolver o problema o assessor taxativo ao afirmar que os usuários devem esperar a boa vontade da empresa responsável pela entrega dos medicamentos a prefeitura.
Da Redação
Do ExpressoPB

Nenhum comentário: